De volta a POA

Apesar das ameaças das cinzas do vulcão fecharem o espaço aéreo gaúcho, conseguimos desembarcar essa madrugada em Porto Alegre.

Para permanecermos no clima da viagem, acontece amanhã no StudioClio a palestra  Os Judeus de Kazimierz — região da Polônia que funcionou como cidade mercantil e ponto de cruzamento de rotas comerciais da Idade Média.

O pianista Tiago Halewicz, especialista em memória cultural polonesa, fará comentários sobre o patrimônio cultural que os judeus desenvolveram.

Dia 15/6 das 12h20 às 13h30. Valor: 25R$.
O Studio Clio fica na Rua José do Patrocínio, 698, Fone 51 3254-7200

Reapresentação dia 20/6 no mesmo horário.  O almoço cultural em ambas datas já lotado.

Anúncios

Até a próxima!

A Rússia nos remete a muitas imagens simultâneas – dos romances de Dostoevsky às histórias de Ivan, o Terrível; do teatro de  Tchecov e poemas de Pushkin às Gulags e fazendas coletivas de Stalin; da corrida espacial e armamentista aos grandes oligarcas do recente capitalismo.

Mas o que sempre me encantou foram as histórias de Pedro e Catarina, ambos Grandes. Nesta viagem percorremos um pouco desses vários mundos – o requinte da corte Czarista nos palácios de S.Petersburg, os prédios monumentais do período soviético e os shoppings de hiper luxo do período Putin.

A Rússia, que no séc. XX iniciou Czarista, depois Soviética e comunista e vira capitalista, sempre surpreende!

Até a proxima viagem!

Os metrôs de Moscou

Muitas estações de metrô representam a ideologia da metade do séc. XX, funcionando como propaganda da união das repúblicas e do povo soviético.

Última morada

No cemitério ao lado do mosteiro vimos as tumbas de Ieltsin, o primeiro presidente da Rússia pós-URSS e de Raissa Gorbachov – exemplo de elegância.

O casal Gorbachov visto como heróis no ocidente por ter conduzido as transformações que levaram ao fim Soviético, não tem a mesma simpatia em casa. Segundo a visão de nossa guia, perdeu-se a posição de destaque de 2ª potencia mundial durante a guerra fria com seu destaque nas ciências, artes e esportes, e uma transição rápida demais a um capitalismo selvagem que so favoreceu oligarcas.

Em sua visão, as mudancas eram inevitáveis, pois o sistema econômico havia ruído e não tinha como manter os benefícios sociais que o sistema político oferecia.