O Genocídio Armenio

Em setembro o Grand Tour visita a Armenia – e em ritmo de saber mais sobre a historia de seu povo acabo de ler o livro “The Hundred Year Walk” da escritora americana Dawn Anahid Mackeen sobre a vida do seu avo, Stepan Miskjian, um sobrevivente do Genocídio Armênio. Esta “Armenian Odyssey” retraça a historia do jovem comerciante de Adabazar – uma cidade próxima a Istambul de maioria Armenia em que apenas 10% dessa população sobreviveu a deportação forcada, prisão e extermínio em massa perpetrado pelo Imperio Otomano nos primeiros anos da 1a Grande Guerra. A autora refaz um século depois o trajeto dos deportados de suas cidades ate o deserto da Mesopotamia, morrendo de fome ao longo do caminho, relatando as terríveis condições de vida nos assentamentos e finalmente o horror dos extermínios em massa. O relato em primeira pessoa do avo, registrado em seu diário, nos sensibiliza com a historia de um individuo, e sua família, e que ao multiplicarmos pelo mais de um milhão de vitimas mostra o quadro horrendo que foi a tentativa do Imperio Otomano exterminar um povo. Povo este que já estava na Anatólia um milênio antes da chegada dos turcos. A Armênia foi o primeiro reino a adotar, no sec IV, o cristianismo como religião oficial e conviveram com os bizantinos e os persas ate a chegada dos turcos e tomada de Constantinopla. No final do sec XIX com sua população dividida entre o império Otomano e o Russo, inicia movimentos por maior autonomia. A primeira represália aos armênios ocorre no final do sec XIX quando outras partes cristãs do império, como a península Balcânica, conseguia sua independência iniciando a fragmentação do Império. O enfrentamento dos Turcos com os Russos na 1a Grande Guerra vai ser a desculpa para a operação de deslocamento forcado de toda a população armênia para a região desértica da atual Síria, alegando que os Armênios poderiam apoiar o inimigo. O livro narra essa saga dando vida a personagens reais que sucumbiram e sobriveram a este genocideo que exterminou mais de um milhão de armênios a partir de 24 de abril 1915 ate a saída da Russia do conflito com a revolução Bolchevique de 1917. Ao refazer os trágicos passos do avo, um século depois, a autora se reconcilia com a historia ao encontrar os descendentes dos beduínos árabes, as margens do Eufrates, que acolheram o armênio apos ele conseguir fugir do campo de extermínio caminhando 6 dias pelo deserto. Esses mesmos Sírios que enfrentam hoje a fúria do Estado Islâmico e a trágica historia da “desumanidade” continua.P1449881303438

One thought on “O Genocídio Armenio

  1. E eis que a história se repete e as repetições não são suficientes para que a humanidade aprenda…quantos outros genocídios e holocaustos ainda veremos… muito triste isso.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s