Torres del Paine

A primeira vez q estive na Patagonia ouvi falar desse lugar magico e intocado chamado “Torres del Paine”. Uma década depois retornei e descobri em uma semana de caminhadas acampando toda essa natureza exuberante de montanhas e lagos. Muito feliz de estar aqui de volta, reconfirmando como são bem cuidados os parques chilenos.
Trata-se de um seleto grupo das zonas representativas dos distintos ecossistemas do mundo e administrado pela CONAF (Corporación Nacional Forestal) com seus guardas florestais que vivem no local e tratam de conservar a diversidade biológica do parque, bem como de seus recursos naturais e culturais para as futuras gerações.
Tem uma área de aproximadamente 242.000 hectares em torno da cadeia montanhosa Del Paine , com as mundialmente famosas Torres del Paine e os não menos conhecidos Cuernos del Paine. Lagos, rios, cascatas e glaciares estão em perfeita harmonia no parque.

thumb_img_5109_1024thumb_img_5112_1024thumb_img_5117_1024thumb_img_5118_1024

Glaciar Spegazzini

Spegazzini foi o glaciar mais bonito que vimos – com uma frente que chega a 130 metros sobre o nível do lago,  uma das vistas mais impressionantes de toda a viagem.

Alimentado pelos glaciares Mayo Norte e Peineta, tem 1,3 km de largura por 17 km de comprimento, totalizando 137 km² de superfície de gelo. A retração da geleira Spegazzini é considerada mínima em relação as demais geleiras da região, tendo retrocedido apenas 150 metros e perdido de 0,07 km², no período 1968-2010. Uma de suas características principais é a alta parede de desprendimento, considerada a mais alta do Parque Nacional Los Glaciares, com picos entre 80 e 130 metros, enquanto as de outros glaciares do parque ficam na media de 60 metros.

Essa alta parede de gelo é a origem de icebergs de formas e cores variadas e esta firmemente apoiada no fundo do lago a uma profundidade de cerca de 150 metros.

Deve seu nome ao botânico Carlos Luis Spegazzini, que foi o primeiro a estudar a flora local.

thumb_img_5057_1024thumb_img_5060_1024thumb_img_5062_1024thumb_img_5080_1024thumb_img_5083_1024

Glaciar Upsala

O Glaciar Upsala se encontra em retrocesso, que pode ser uma evidência de ciclos climáticos e geológicos desconhecidos ou de aquecimento global.

O seu nome se deve ao fato da Universidade de Upsala, da Suécia, ter realizado o primeiro levantamento da região no século XX. Seus campos de gelo cobrem uma extensão de 765 km². O glaciar possui uma extensão de 53,7 km, sendo o terceiro mais longo da América do Sul, e suas paredes alcançam a altura de 40 metros em média. Flui desde o Campo de gelo do sul da Patagônia, o qual também dá origem ao Glaciar Perito Moreno que se encontra na mesma área, até o Lago Argentino.

thumb_img_4951_1024thumb_img_4953_1024thumb_img_4956_1024thumb_img_4958_1024thumb_img_4960_1024thumb_img_4962_1024thumb_img_4973_1024thumb_img_4989_1024thumb_img_4996_1024thumb_img_5017_1024thumb_img_5022_1024thumb_img_5043_1024thumb_img_5046_1024